top of page

MORTES POR GRIPE AVANÇAM NO RJ E ESTADO É O ÚLTIMO DO BRASIL EM VACINAÇÃO





A pequena Helena, de 3 anos, pediu à mãe para tomar a vacina da gripe e a arrastou para o posto de saúde no bairro Vila do Sol, em Cabo Frio. "Ela viu as amiguinhas dizendo que foram vacinadas e também quis tomar a dose", disse a mãe, Joana Sales. A vacinação foi feita no fim da campanha de imunização do Ministério da Saúde, prevista para terminar nesta sexta-feira (31).


Mas a pequena Helena é quase uma exceção no estado do Rio. A dificuldade em alcançar os índices de vacinação na campanha contra a gripe colocou o Rio de Janeiro no último lugar do ranking entre os estados brasileiros em imunização contra a gripe. Apenas 27,44% dos grupos prioritários foram vacinados e, em relação ao total da população, só 8,39% receberam a vacina.


Quando a gente foca nas crianças até 6 anos, a Secretaria de Estado de Saúde diz que esse índice está em 28,64%.


O estado tem duas cidades entre as 10 piores do Brasil: São João de Meriti, com taxa de vacinação de 5,35%, e Belford Roxo, com 7,67%.


No interior, a situação não é diferente. Em Campos, apenas 13% do público-alvo tomou a dose contra a gripe neste ano. Em Cabo Frio, o índice está em 22,89%. Em Macaé, 29,82%. Na Região Serrana, o destaque é para Petrópolis, que se aproxima do índice de 40% de imunização.


Mesmo assim, ainda é um índice baixo do ideal. O Ministério da Saúde prevê a imunização de 90% do público-alvo.


Enquanto a vacinação segue a passos lentos, avança o número de casos graves provocados pela gripe. Segundo dados do Centro de Inteligência em Saúde (CIS-RJ), de janeiro a maio deste ano, foram registradas 5.614 internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Dos 713 óbitos registrados, 515 foram de idosos. A secretária de Estado de Saúde do Rio, Claudia Mello, faz um alerta para que a população busque as unidades de saúde para se proteger contra a doença: "Vemos com preocupação a não adesão da população à vacina da gripe, especialmente dos mais vulneráveis, como as crianças, os idosos e as gestantes. As vacinas são seguras e estão disponíveis nas unidades de saúde. A gripe pode ser agravada para o que chamamos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e mata. Vacinem-se".


A Secretaria Estadual de Saúde (SES) informou que há 5 anos a cobertura vacinal historicamente alcançava índices acima de 90%, e que a baixa procura pela vacina tem sido uma preocupação.


Uma das explicações para a baixa procura é o medo da vacina provocar alguma reação. A pediatra Claudiane Suzzy explicou que a vacina pode provocar pequenas reações em algumas pessoas, como mal-estar e febre baixa. Mas são efeitos passageiros e que não colocam a saúde em risco. "Muita gente também diz que a vacina da gripe provoca gripe. Mas não é verdade. A vacina da gripe é feita com vírus inativos. Eles não estão vivos, então, não podem provocar a gripe", disse.


Apesar da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe terminar nesta sexta (31), em meio ao feriadão de Corpus Christi, os postos de saúde vão continuar oferecendo as doses a todos os públicos, a partir dos seis meses de idade.

29 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page