top of page

RIO DAS OSTRAS AGE COMO "FILHINHO DE PAPAI"



Aos 31 anos, este jovem adulto não parou de crescer. Pelo contrário, a taxa de crescimento dele é uma das maiores do estado do Rio e do Brasil. Só que este jovem adulto não está se comportando bem. Age como um filhinho de papai, mantendo-se apenas com as mesadas que recebe, sem querer trabalhar. Este jovem adulto é o retrato de Rio das Ostras para Maurício BM, presidente da Câmara de Vereadores e pré-candidato à prefeitura no ano que vem. Maurício BM abriu a série de entrevistas do Verdades com a Ana, podcast da jornalista Ana Paula Mendes, com os pré-candidatos da cidade da Baixada Litorânea.


Rio das Ostras tem cerca de 150 mil moradores, 10 mil a mais que no Censo de 2010. A taxa de crescimento é expressiva: 11% ao ano. E o "filhinho de papai", Maurício BM, se referiu à dependência de Rio das Ostras dos royalties do petróleo. "Toda vez que tem alguma crise no petróleo, começam a tentar implementar políticas públicas de arrecadação, desenvolvimento do turismo, geração de renda. Mas aí começa a normalizar novamente o repasse, esquece-se tudo o que passou e deixa pra lá", disse o vereador.


Maurício BM está no primeiro mandato como vereador. É servidor público de carreira, praticamente uma tradição de família. Os pais e o irmão também são concursados da prefeitura. Apesar da pouca experiência na política, assumiu a presidência da Casa por duas vezes. "Sou um vereador técnico. Não tenho aquele perfil de político que sai abraçando e beijando as pessoas", disse. Na Câmara, diz que atuou, muitas vezes, contra o prefeito Marcelino Borba, o Marcelino da Farmácia. "Quando assumi a presidência, acatei uma CPI para investigar o prefeito", contou Marcelo BM. Ele se referiu à CPI instaurada em 2021 para investigar o remanejamento de equipamentos de informática da secretaria de Saúde para outros departamentos. Marcelino chegou a pedir na justiça a paralisação dos trabalhos. Mas a Câmara recorreu e venceu. Mas a CPI foi arquivada pelos vereadores.


Por conta desse posicionamento político, houve espanto quando Marcelino Borba anunciou que apoia a candidatura de Maurício BM. "O Marcelino pessoa é um cara super gente boa e o Marcelino gestor, é um cara que, pra mim, hoje teria que estar mais presente na vida pública, na parte administrativa da prefeitura", disse. "Mas isso é uma estratégia?", questionou Ana Paula Mendes. O jornalista Arnaldo Neto, que também participou da sabatina, também estranhou essa parceria política. "Não é um pouco complicado fazer críticas a um governo e ter o apoio dele. Ou talvez algo possa acontecer daqui até lá e não pode ser mais o candidato do prefeito?", perguntou. Marcelo BM disse que Rio das Ostras tem, praticamente, dois pré-candidatos: ele e o ex-prefeito e atual vereador Carlos Augusto Baltazar. "Eu venho da base do prefeito. O Carlos Augusto sempre foi oposição", justificou o vereador sobre o apoio de Marcelino.


Quando o assunto foi o adversário, Carlos Augusto, o clima esquentou. Ana Paula perguntou: "Então, na sua avaliação, você não achou que a administração de Carlos Augusto foi satisfatória?". Maurício respondeu. "Não, inclusive o município tem hoje uma dívida gigantesca por conta de um contrato assinado na gestão dele em 2008, que é um processo de R$ 250 milhões, que hoje, o município tem a possibilidade de pagar quase R$ 3 bilhões de reais. E o intuito da obra, que era saneamento básico nos bairros Cidade Praiana e Cidade Beira-mar não aconteceu de fato. Toda vez que chove, quem acompanha Rio das Ostras, eles ficam debaixo d'água", alfinetou.


O saneamento básico é um desafio para o próximo prefeito de Rio das Ostras. Só 18% do município tem o serviço, segundo Maurício BM. "Isso é uma vergonha", comentou Ana Paula Mendes. E uma lei federal exige que, até 2033, todas as cidades do Brasil tenham 95% de saneamento, sob o risco de ficar sem receber verbas importantes.


Maurício BM também anunciou que vai mudar de partido para disputar as eleições. Deve trocar o PV, que hoje está na base aliada do presidente Lula, pelo União Brasil, que é oposição. Ele confessa que a filiação ao PV não é ideológica. "Já recebi bronca da direção do partido por apoiar Bolsonaro", disse.


A conversa fluiu, apesar de Maurício BM se considerar tímido. "A política me ajudou a soltar mais", disse. O vereador é casado e tem três filhos. E conta que, por conta do nome, muitos o confundem com bombeiro militar. "Tive muitos votos de bombeiros", contou bem humorado. Na verdade, BM é a abreviatura do sobrenome de Maurício. O nome completo dele é Maurício Braga Mesquita. A política mexeu tanto com a timidez de Maurício, que hoje ele tem até um programa de rádio. "É um caminho contrário na política. Geralmente o radialista é que vai pra política no estado do Rio", relembrou Arnaldo Neto.


A sabatina terminou com declarações de carinho. "Queria mandar também um abraço de Rio das Ostras pra você. A população lá tem um carinho enorme por você, Ana", disse Maurício. "Mande um abraço muito grande pra Rio das Ostras, que é uma cidade muito bonita, carente, que precisa de muito mais, merece, porque ela tem destaque nacional. Mas ela precisa acompanhar esse destaque nacional", respondeu Ana.


O Verdades com a Ana agendou, para esta semana, a entrevista com o pré-candidato Carlos Augusto Baltazar, citado no programa. A divulgação está programada para a próxima semana.

2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page